Buscar
  • Iara

poema dos aflitos

Era para ser sobre a estrela

De quando se desintegrou pelo desconhecido

Vão escuro que lhe puxou pelos eixos

E por amor absorveu cada partícula sua


Era para ser sobre a rosa

De quando lhe tocou pelos cabelos

Flor de primavera que veio em surpresa

E por amor nutriu cada pétala sua


Era para ser sobre o sorriso

De quando lhe tomou por toda noite

Leito afável que lhe abraçou em carinho

E por amor beijou cada lágrima sua


Absorta pelo momento de ser feliz

Deixou que passasse sem descrevê-lo

Erro displicente que lhe virou a vida

E por capricho lhe deixou aflição crua

31 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

poema para não ser esquecido

Ao abrir de seus olhos a cada próxima manhã Percebendo a presença pelo calor desse meu corpo Ainda morno por noites passadas Pensa que meu coração não é capaz de aquietar-se E não há espaço em viver s

sete mortes e mais uma

JAZ I Observador, relatara sobre o amor que nunca sentira. Ao encontra-lo, viu-se incapaz. JAZ II A vida, mulher carente, não deixara que aprendesse tudo, estando sempre em seu querer. Foi quando julg