Buscar
  • Iara

poema dos aflitos

Era para ser sobre a estrela

De quando se desintegrou pelo desconhecido

Vão escuro que lhe puxou pelos eixos

E por amor absorveu cada partícula sua


Era para ser sobre a rosa

De quando lhe tocou pelos cabelos

Flor de primavera que veio em surpresa

E por amor nutriu cada pétala sua


Era para ser sobre o sorriso

De quando lhe tomou por toda noite

Leito afável que lhe abraçou com carinho

E por amor beijou cada lágrima sua


Absorta pelo momento de ser feliz

Deixou que passasse sem descrevê-lo

Erro displicente que lhe virou a vida

E por capricho lhe deixou aflição crua

45 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

(conto) Certa vez sentiu o peito chegar às costas, tamanha força que a companheira fazia para lhe prensar contra a parede. Suas discussões se tornavam cada vez mais nocivas, mais sentidas. Ela o desiq

(conto nspirado em um ser humano real) Acordou naquele dia com a sensação de que algo seria diferente, sentiu um desconforto chato. Naquela altura de sua vida, as mudanças, ainda que pequenas, exigiam

(conto) Naquele final de tarde chuvoso, chegou em casa com o desconforto de um choro seco apertando o peito. Sempre fora sensível aos dias molhados e melancólicos do agosto em Pueblo. Deixou as compra