Buscar
  • Iara

o pai, a filha

Te ver assim, não sei ao certo...

Mas minhas lágrimas acompanham as suas

Pelo privilégio em melodias e notas

Na matemática dos eruditos

Pelo que é profundo e denso

Em sentimentos por extenso

Por linhas...linha pura?

Por contornos, seus traços

Suas cores, os claros, os escuros

Nessa tela infinita repleta de vidas e mortes

E sombras e nadas

Que trafegam em paralelas

Desencontram em perpendiculares

Carregam escudos, bandeiras e máscaras

Dançam seios, quadris e nuvens

Braços, cabeças e vozes

E o que em mim faz-se seu?

Sua semelhança

Onde me acho, onde me perco?

Me ver assim, não sei ao certo...

Mas minhas lágrimas...

Minhas lágrimas acompanham as suas.

9 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

poema para não ser esquecido

Ao abrir de seus olhos a cada próxima manhã Percebendo a presença pelo calor desse meu corpo Ainda morno por noites passadas Pensa que meu coração não é capaz de aquietar-se E não há espaço em viver s

sete mortes e mais uma

JAZ I Observador, relatara sobre o amor que nunca sentira. Ao encontra-lo, viu-se incapaz. JAZ II A vida, mulher carente, não deixara que aprendesse tudo, estando sempre em seu querer. Foi quando julg