Buscar
  • Iara

melindrosas... ou melindrantes?


Buscou-me a pergunta lá no fundo:

Entre as mulheres, onde estaria?

Ledo engando um homem cometeria

Insistindo em definição para lhe acalmar o mundo.

Nada disso me define - sai o grito do meu peito -

Das poucas coisas que sei sobre mim mesma

Resta o desejo de ser livre de qualquer conceito.

Olhar minha face frente ao espelho

Sem as máscaras que me caem ou encaixam,

Ainda que eu as tenha como roupagem,

Salva minha pele dessa indelével tatuagem.

Ocorre que essa minha liberdade,

Um dia desses, largou-me à margem.

E me vi só em seu desapontamento

Virou-se, como se eu nada fosse.

Lamento as buscas desencaixadas,

Impediram nosso encontro ora provável.

Nessa caminhada por nós mesmos

Deparamos com o outro nada afável.

Reagindo em contrariedade

Afastamos a imagem, a voz, a possibilidade.

Numa tentativa de proteção ou sobrevivência,

Delego-te o passado de meus escritos.

E rasgando seu papel em minha carência,

Suponho que findei com nosso atrito.

30 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

poema para não ser esquecido

Ao abrir de seus olhos a cada próxima manhã Percebendo a presença pelo calor desse meu corpo Ainda morno por noites passadas Pensa que meu coração não é capaz de aquietar-se E não há espaço em viver s

sete mortes e mais uma

JAZ I Observador, relatara sobre o amor que nunca sentira. Ao encontra-lo, viu-se incapaz. JAZ II A vida, mulher carente, não deixara que aprendesse tudo, estando sempre em seu querer. Foi quando julg