Buscar
  • Iara

nem monroe, nem macabéa

E então Clarice,

Onde estaria o esperma que deveria me encher o futuro?

Olho ao lado e nada vejo

Olho abaixo, no ventre, apenas vácuo

Atravesso a rua, o carro não passa

Vida que não se transforma

Mão no peito que se enche do ar

Fluido fugaz que já me escapa

Esperança que não se apresenta

Ainda que paga em trocados

À mulher que me tira as cartas

Vida que se desfaz do que jamais seria

Mesmo quando o pai lhe repetia...rainha das águas

De Monroe a Macabéa

Estrela de sina em desgraça

De um aborto espontâneo seu futuro morreu cedo

Ainda assim vida plena e farta

Jardim de flor que te fez astro

A estrela de Clarice de história escrita

Perpétua e bela,

Invejo-te.

14 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

poema para não ser esquecido

Ao abrir de seus olhos a cada próxima manhã Percebendo a presença pelo calor desse meu corpo Ainda morno por noites passadas Pensa que meu coração não é capaz de aquietar-se E não há espaço em viver s

sete mortes e mais uma

JAZ I Observador, relatara sobre o amor que nunca sentira. Ao encontra-lo, viu-se incapaz. JAZ II A vida, mulher carente, não deixara que aprendesse tudo, estando sempre em seu querer. Foi quando julg