Buscar
  • Iara

amor de paralelos

Por caminhos improváveis,

Paralelos, desafiam suas rotas

Em desprezo à matemática.

Feito acidente por displicente,

Com seus discursos divergentes,

Dá-se o choque pelo descaso.


Como dois irresponsáveis,

Lançam farpas por respostas

Surpreendidos pela cinética.

Configuram-se os oponentes,

Que ao mostrar faces atraentes,

Dá-se o silêncio por curto prazo.


Com a razão de ponderáveis,

Suas vozes, mesmo remotas,

Recuam em doce gramática.

Feito ânsia de amor latente,

Desnudam-se almas congruentes...

Tem-se o encontro por um acaso.

31 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

poema para não ser esquecido

Ao abrir de seus olhos a cada próxima manhã Percebendo a presença pelo calor desse meu corpo Ainda morno por noites passadas Pensa que meu coração não é capaz de aquietar-se E não há espaço em viver s

sete mortes e mais uma

JAZ I Observador, relatara sobre o amor que nunca sentira. Ao encontra-lo, viu-se incapaz. JAZ II A vida, mulher carente, não deixara que aprendesse tudo, estando sempre em seu querer. Foi quando julg